Federação Gaúcha de Pólo

História >> História no Brasil

História na Brasil

O pólo começou a ser praticado no Brasil durante a década de 20 por ingleses, fazendeiros e militares brasileiros, principalmente no interior de São Paulo, onde até hoje tem grande expressão. Além disso, no sul do país o esporte sofreu grande influência de argentinos e uruguaios. Também foi grande a influência inglesa no pólo do Rio de Janeiro, destacando-se como principal figura sir William Prytman. Enquanto os militares utilizavam o Campo da Parada, em São Cristóvão, o primeiro campo de pólo civil foi o Gávea Golf Pólo Club. Já no Rio Grande do Sul houve uma maior influência por parte dos países vizinhos, como Argentina e Uruguai, além da preponderância do pólo militar. O Exército também destacou-se no cenário nacional, conquistando os títulos de campeão estadual e nacional.

No ano de 1973, com a motomecanização, o pólo militar começou a declinar, com exceção dos Dragões da Independência (Brasília), Osório (Porto Alegre), Andrade Neves (Rio de Janeiro), da Academia Militar de Agulhas Negras (Resende) e na fronteira do sul do país, no 8o RC de Uruguaiana e no 5o RC de Quaraí. Um jogo teve a participação de dez generais do Exército durante a Temporada Hípica da AMAN, em 1983, evento que depois se repetiu em Brasília, Ponta Porã e Uruguaiana. Os ingleses coronel Parker e major Coulson tiveram papel essencial na introdução do pólo no estado de São Paulo, onde iniciou-se basicamente no interior, mais precisamente na região de Colina e Orlândia, onde a família Junqueira, tradicional criadora de cavalos, proporcionava um ambiente propício.

O primeiro campo da Sociedade Hípica Paulista foi na sede de Pinheiros. Com o passar do tempo, várias equipes foram se formando na região. Durante os anos 60, uma nova geração de jogadores surgia e substituia a antiga. Em 28 de novembro de 1963, é fundada a Federação Paulista de Pólo. Os efeitos da nova organização começam a ser avistados durante a disputa da Copa Vargas, em Buenos Aires, onde os brasileiros forçam a terceira partida contra os argentinos, fato inédito há muitos anos. A equipe da Sociedade Hípica Paulista vence o Chile em São Paulo e Santiago na Copa Alessandri e conquista a primeira vitória internacional de um time formado exclusivamente por jogadores brasileiros. Com vitórias das equipes Rio Pardo, Toca e Sapezal nas Copas Vargas, Alessandri e no Mundialito de Pólo, o Brasil começa a se destacar internacionalmente e alguns jogadores são convidados patra atuar em outros países. Um dos jogadores que obteve maior êxito fora do Brasil foi Sylvio Junqueira Novaes, que, além de atuar por várias temporadas na Inglaterra e ter feito oito gols de handicap, viu sua égua Elke ser premiada como melhor animal da temporada inglesa.

A criação de cavalos nacionais para pólo apresentou grande desenvolvimento e alguns animais participaram dos Campeonatos Abertos da Argentina e muitos até hoje são exportados para os Estados Unidos, Venezuela, Itália e Inglaterra. Após a fundação da Federação Internacional de Pólo, começa a ser disputado o Campeonato Mundial e o Brasil sagra-se duas vezes campeão e uma vez vice. Na região de Indaiatuba, graças aos esforços de Giorgio Moroni, é formado em maio de 1975 o Helvetia Pólo Country Club, que reúne os melhores jogadores de pólo e agrupa os campos particulares na cidade. Outro fato curioso do esporte ocorreu quando da ocasião da visita do príncipe Charles ao Brasil em 1978, quando o herdeiro da coroa inglesa e grande entusiasta do esporte disputou alguns jogos em equipes civis e militares, em partidas disputada em São Paulo e Brasília.